Noticias

Noticias

Entretenimento se torna uma ferramenta importante em combate à ansiedade no período de isolamento

Foto: Reprodução (Milton Santanna)
O Brasil é o país com o maior número de pessoas ansiosas no mundo. Segundo uma pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), publicada em março de 2019, cerca de 9,3 % da população (18,6 milhões) conviviam com transtorno de ansiedade. Desta forma, manter a saúde mental em dia tem sido um desafio.
Em uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Psiquiatra (ABP), em maio deste ano, 47,9% dos médicos psiquiatras entrevistados de 23 estados e do Destrito Federal, perceberam um aumento de 25% nos atendimentos, referente ao mesmo mesmo período de 2019. O isolamento social causado pela pandemia da Covid-19 tem influenciado no aumenta do índice de depressão e ansidedade da população.
Em entrevista ao Varela Notícias, a psicóloga Elaine Souza, conta que a falta do lazer, neste período de quarentena, pode afetar de forma significativa no aumento do transtorno. “O momento traz uma modificação significativa em nossas vidas e o lazer é um fator importante de proteção a saúde mental. Com isso, o entretenimento caseiro é fundamental para reduzir os sintomas”.
Ainda de acordo com a especialista, evitar o bombardeio de informações sobre a situação atual é um método que pode contribuir para a saúde mental. “A primeira prática importante nesse período é evitar excesso de informações e buscar ser mais flexível pensando novas possibilidades e estratégias para se acalmar”, recomenda.
“É importante estar atento a quantidade e qualidade das informações consumidas na internet, utilizando fontes confiáveis, estabelecendo horário e tempo de acesso, de maneira que o excesso de informações não gere exaustão, desinformação e sentimento de pânico”, ressalta Elaine.
Entreterimento
A psicóloga afirma que o uso das redes sociais pode ser um aliado em combate à ansiedade. “[Elas] têm cumprido um papel importante nesse período de isolamento social. A possibilidade de manter as relações de trabalho com amigos, familiares e atividades de lazer e cultura tem contribuído na manutenção de uma certa rotina, e ajudado a atenuar os efeitos psicológicos e emocionais decorrentes do momento”, afirma a especialista.
De acordo com a Squid, empresa especializada em marketing de influência, houve uma alta de 88,4% no uso dos smartphones durante a quarentena em abril deste ano.
Foto: Antônia Fernanda/Varela Notícias

O digital influencer Ítalo Gomis, afirma que o engajamento de seus seguidores tem aumentado durante o período de isolamento. “Os resultados e o entretenimento está melhor”. Mas confessa que está sendo difícil passar por este momento. “Odeio rotina, está [sendo] bem punk. Tento mudar minha rotina, ir pra casa de meus pais e da minha prima que está comigo desde o início da quarentena”, revela o influencer.
O estudante, Valmir Soares, 23 anos, contou ao VN que o uso das plataformas digitais o ajuda a se entreter, mas também contribui para o aumento da ansiedade. “O uso das redes sociais aumenta ansiedade na mesma proporção que diminui. Na última sexta-feira eu fiquei o dia todo deitado em frente ao celular e acabei tendo uma crise de ansiedade. Ficamos na expectativa de ter um contato com as pessoas fisicamente e não virtualmente”.
O estudante também revelou que está aproveitando o período para aprender atividades novas. “Eu tenho um teclado que ganhei há quatro anos, e nunca aprendi a tocá-lo. Neste momento [isolamento] eu estou aprendendo a tocar o instrumento musical”, disse Valmir.
Como driblar a ansidedade
Confira as dicas da Psicóloga Elaine Souza de como manter a saúde mental e amenizar o sintomas da ansiedade durante a quarentena. “É importante também manter uma atenção especial com o autocuidado e com as rotinas de sono e alimentação (…) É a oportunidade de descobrir novos prazeres e praticar atividades não realizadas habitualmente”, destacou.
-Fazer terapia online
-Assistir filmes/séries
-Conhecer novos artistas da música
-Ler
-Fazer cursos online
-Atividade manuais (costura, pintura, artesanato)
-Praticar atividades físicas
-Restabelecer contato com amigos antigos, através da tecnologia
-Jogos interativos (tabuleiro, quebra-cabeça, mímica)
*Sob supervisão de Anderson Ramos
Fonte: Varela Notícias
Tecnologia do Blogger.