Noticias

Noticias

Covid tira médicos de combate; Espanha tem 5,4 mil infectados


Em toda a Europa Ocidental, os profissionais de saúde têm utilizado a linguagem da guerra para descrever a luta contra o cornavírus, com alguns hospitais à beira de um colapso. E são esses profissionais os soldados da linha de frente. Segundo o autoridades sanitárias espanholas, dos 40 mil casos de coronavírus confirmados na Espanha, cerca de 5.400 — aproximadamente 14% — são de profissionais da saúde. Nenhum outro país registrou tão alta procentagem entre os infectados.

O temor é que isso se espalhe por toda a Europa. Na Itália, França e Espanha, mais de 30 profissionais de saúde morreram de coronavírus e outros milhares tiveram que ficar isolados.
Em Brescia, epicentro do surto na Itália, entre 10 e 15% dos médicos e enfermeiras foram contaminados e tiveram que ser afastados, de acordo com um médico local. Na França, o sistema público de saúde registrou 490 infectados entre seus membros, uma pequena, mas crescente, parcela entre os cerca de 100 mil profissionais.  
O mesmo está começando a acontecer no Reino Unido e nos Estados Unidos, onde a contaminação está caindo, mas ainda tem fôlego. De acordo com números internos registrados por uma soceidade que representa os médicos em Madri, no Hopistal La Paz, um dos maiores da capital espanhola, 426 empregados — 6% do total de profissionais da saúde — estão isolados em casa, após testarem positivo ou apresentarem sintomas do coronavírus. Já no pequeno Hospital Igualada, na Catalunha, um terço dos mil funcionários tiveram que ser afastados.
“O vírus já se encontrava entre nós quando estávamos apenas testando aqueles que vinham de Wuhan e depois da Itália”, disse a médica Ángela Hernández Puente. “Alguns de nossos médicos, infelizmente, trabalharam sem a proteção adequada e se tornaram vetores.” 
Fonte: OGlobo.
Tecnologia do Blogger.