Hot!

Veja mais

Obrigado pela visita, volte sempre

Procurando Vidraçaria?

Sorveteria Sobel

test banner
Mostrando postagens com marcador Educação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Educação. Mostrar todas as postagens

Inscrições para o Encceja começam nesta segunda-feira, saiba como se inscrever


Agência Brasil - As inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja Nacional) deste ano serão abertas às 10h de hoje (16). 


O prazo para fazer a inscrição termina no dia 27 de abril. As provas serão realizadas no dia 5 de agosto. O sistema de inscrição pode ser acessado na página do Encceja na internet.

O exame é direcionado aos jovens e adultos que não concluíram os estudos na idade apropriada para cada nível de ensino. Os participantes devem ter, no mínimo, 15 anos completos na data de realização do exame, para quem busca a certificação do ensino fundamental. 

Quem busca a certificação do ensino médio tem que ter, no mínimo, 18 anos completos na data de realização do exame. A participação é voluntária e gratuita.

Durante a inscrição, o participante deve ficar atento à seleção das áreas de conhecimento. Quem quer o certificado de conclusão do ensino fundamental ou do ensino médio precisa ter proficiência nas quatro áreas do conhecimento e na redação. 

Mas o participante que já tem alguma declaração parcial de proficiência, obtida em edições passadas do Enem ou do próprio Encceja, fica liberado de fazer a prova da área na qual já tem proficiência comprovada. Na inscrição, o participante também precisa escolher a instituição na qual pretende solicitar a certificação ou a declaração parcial de proficiência.

Os resultados individuais do Encceja permitem a emissão de dois documentos: a certificação de conclusão do ensino fundamental ou do ensino médio, para o participante que conseguir a nota mínima exigida nas quatro provas objetivas e na redação, e a declaração parcial de proficiência, para o participante que conseguir a nota mínima exigida em uma das quatro provas, ou em mais de uma, mas não em todas.

Também serão realizados neste ano o Encceja para quem mora no exterior, para adultos submetidos a penas privativas de liberdade e para adolescentes sob medidas socioeducativas que incluam privação de liberdade.

Enem e Prouni anunciam novos prazos; confira

Interessados em pedir a isenção da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tem até às 23h59 de 15 de abril para fazer a solicitação. O prazo foi estendido também para aqueles que precisam justificar a ausência na edição de 2017, requisito obrigatório para quem teve direito à gratuidade na edição do ano passado, mas faltou à aplicação, e ainda quer requerer a isenção no Enem 2018. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep), a mudança tem como objetivo dar mais tempo para que os participantes possam se adequar as novidades desta edição. Já o prazo para as inscrições para as bolsas remanescentes do Programa Universidade para Todos (Prouni), no caso dos alunos que ainda não estão matriculados nas instituições de ensino superior, foi estendido para segunda-feira (9). O período de inscrição para os alunos que já estão matriculados, no entanto, permanece até o dia 30 de abril. Ao todo, serão ofertadas 112,8 mil bolsas remanescentes. Pode se candidatar a uma bolsa remanescente quem for professor da rede pública de ensino ou que tenha participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, com nota superior a 450 pontos e acima de zero na redação. Fonte : Ministério da Educação e da Agência Brasil

Inscrições para o Prouni estão abertas e vão até sexta-feira, 9

As inscrições para o Programa Universidade para Todos (ProUni) foram abertas nesta terça-feira, 6. Os interessados em obter uma bolsa de estudos em uma das 2.976 instituições de ensino particular devem fazer a inscrição na página do programa até sexta-feira, dia 9.
Neste semestre, o Ministério da Educação vai oferecer 242.9987 bolsas, sendo metade integrais e a outra, parciais para cursos de graduação e sequenciais de formação específica.
Podem concorrer brasileiros sem diploma de curso superior que tenham feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2017 e não tenham zerado a prova. Também é necessário que o candidato atenda ao menos uma das seguintes condições: ter estudado o ensino médio completo em escola pública ou privada como bolsista integral, ter alguma deficiência, ser professor da rede pública ou se enquadrar no perfil de renda exigido.
As bolsas integrais são destinadas a candidatos com renda per capita mensal de até 1,5 salário mínimo e a parcial, para quem tem renda familiar mensal de até três salários mínimos. O resultado dos candidatos pré-selecionados será divulgado no dia 14 de fevereiro.

Projovem oferece 54 mil vagas em 18 estados; matrículas vão até fevereiro

Jovens entre 18 e 29 anos que desejam concluir o ensino fundamental e obter um certificado profissionalizante podem se inscrever no Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem), do Ministério da Educação (MEC). As matrículas vão até o dia 28 de fevereiro. O início das aulas está previsto para março.
Serão oferecidas 54 mil vagas, distribuídas nas modalidades urbano (43 mil) e campo (11 mil). Os interessados devem procurar as secretarias estaduais e municipais de Educação. O Projovem Urbano tem vagas em 13 estados e 25 municípios, incluindo oito capitais, entre elas Manaus, Belém, Recife, Rio de Janeiro, Rio Branco e Natal. No Projovem Campo há vagas em 11 estados e 45 municípios.
Coordenado pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi) do MEC, o Projovem oferece cursos com duração ininterrupta de 18 meses na modalidade Urbano, com carga horária total de 2 mil horas. Na modalidade Campo, o curso tem duração total de 24 meses e se organiza pela metodologia de alternância, intercalando tempo escola e tempo comunidade.
“Essa iniciativa beneficia jovens de 18 a 29 anos que saibam ler e escrever e dá a oportunidade para que eles terminem o ensino fundamental”, explica o coordenador-geral de Política Educacional para a Juventude do MEC, o baiano Bruno Alves.
Além de assegurar conteúdos do ensino fundamental regular, o Projovem tem cursos de iniciação profissional em diversas áreas, como administração, agroextrativismo, alimentação, arte e cultura, construção e reparos, esporte e lazer, gestão pública, produção rural familiar, transporte, turismo, vestuário, entre outros.
“Todo o material didático-pedagógico será elaborado e fornecido pelo MEC, e o conteúdo tem uma dinâmica voltada para esses jovens e para essa juventude em suas várias faces”, destaca o coordenador do MEC. Ainda segundo o ministério, o programa oferece também sala de acolhimento para filhos de até 8 anos dos estudantes ficarem durante o horário das aulas dos pais.

Confira a lista dos aprovados no vestibular da Uneb.

A lista dos candidatos aprovados no vestibular da Universidade Estadual da Bahia (Uneb) foi divulgada nesta sexta-feira (19), no site da instituição

No total foram oferecidas 4.069 vagas, divididas entre 145 cursos de graduação, para os semestres 2018.1 e 2018.2.

O Boletim de Desempenho do Candidato, no entanto, ainda não foi disponibilizado e a expectativa é que seja divulgado na próxima terça (23).

As provas aconteceram entre os dias 17 e 18 de dezembro na Bahia.

Censo Escolar: número de alunos em creches públicas cresce

De acordo com o Censo Escolar da Educação Básica 2017, o número de matrículas no ensino fundamental (1º ao 9º ano) dos colégios públicos caiu em relação ao ano passado. Já nas creches e na pré-escola, subiu. Segundo o G1, o número de alunos matriculados no ensino fundamental em 2017 caiu 1,7% em relação a 2016 – foi de 22.419.989 alunos para 22.056.515. No ensino médio, a queda foi de 2,9% - de 6.878.762 matrículas no ano passado para 6.682.515.
Ainda conforme a publicação, apesar de haver essa redução no número de estudantes matriculados na última etapa da educação básica, o ensino integral cresceu no setor público. Em 2016, 5,95% dos alunos do ensino médio estudavam no período estendido. Neste ano, a taxa subiu para 7,49%. Esse é, inclusive, um dos objetivos do Ministério da Educação (MEC) na reforma do ensino médio.
Creches e pré-escola
Sobre as creches, o Censo mostra que o número de matrículas nas escolas públicas cresceu 6,4% entre 2016 e 2017 – foi de 2.068.682 para 2.209.782 alunos. Os colégios municipais continuam concentrando o maior número de matriculados nessa etapa: 99,8%.
Na pré-escola, também houve aumento no número de matriculados – a elevação foi de 2,6%. Eram 3.772.990 crianças nas escolas públicas e, em 2017, o índice subiu para 3.872.765.
Todo ano, o total de matrículas precisa ser divulgado pelo governo por ser a base para o repasse de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e para a execução de programas na área da educação.
Educação de Jovens e Adultos (EJA)
O número de matrículas na Educação de Jovens e Adultos (EJA), na modalidade presencial, aumentou 4% - de 2.811.939 de alunos em 2016 para 2.928.958 para 2017.

Governo federal reduz autonomia de universidades para gasto com obras

Ministério da Educação (MEC) diminuiu a autonomia das 63 universidades federais do País em relação à execução de recursos para investimentos - como gastos com obras e compras de máquinas. O orçamento aprovado pelo Congresso para 2018 define, pela primeira vez, que só metade da verba de investimento ficará disponível diretamente para as instituições. E o restante ficará a cargo do MEC, que decidirá caso a caso onde usar o dinheiro. O orçamento para o próximo ano prevê cerca de R$ 800 milhões para investimentos nas instituições.

Reitores e especialistas ouvidos pela reportagem apontam para o risco de uso político dos recursos e perda da autonomia universitária na gestão de verbas. Por outro lado, fiscalizações recentes têm apontado irregularidades em compras e na execução de obras em algumas universidades. O ministro da Educação, Mendonça Filho, por exemplo, tem destacado falhas de gestão em parte das federais.
Levantamento do MEC aponta que pelo menos um terço das obras nas universidades federais parou - de 750 registradas, só cerca de 500 estão em execução. Em outubro, um relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) apontou possível superfaturamento de R$ 384,7 mil em contrato de obras na Universidade Federal do ABC (UFABC), com irregularidades na compra de materiais. A instituição, em nota, informou que o relatório é só um documento interno com pedidos de esclarecimentos, e não o resultado de um julgamento.
A ideia agora é seguir o modelo já adotado para os institutos federais, que prevê 70% do recurso de investimentos nas mãos do MEC e 30% com os institutos. "Esse recurso (de investimento sob gestão do MEC) é para as universidades e só o que muda é o gerenciamento. Elas continuam tendo autonomia", afirma o diretor de desenvolvimento da rede de universidades federais do MEC, Mauro Rabelo.
De acordo com ele, a estratégia é que as universidades consigam, com a metade de recursos próprios, tocar as obras de menor porte, investir em equipamentos, compra de livros e mobiliário, enquanto o MEC vai gerir o restante, escolhendo o que deve ser prioridade em todo o sistema. Até agora, os reitores tinham total autonomia para escolher como usar o recurso. A distribuição deverá ser feita, de acordo com o MEC, segundo uma matriz de riscos da pasta.
Críticas
A descentralização deixou os reitores com dúvidas sobre quanto, de fato, terão para investir no próximo ano. Para eles, existem riscos de as obras que estão em andamento ficarem paralisadas.
"Temos obras importantes em Osasco e em Diadema (na Grande São Paulo) que podem ficar paralisadas", diz Soraya Smaili, reitora da Unifesp. Neste ano, a Unifesp tinha R$ 34 milhões previstos para investimento, mas nem tudo foi liberado pelo MEC. "Nesse novo formato, só temos garantidos R$ 3,5 milhões para o ano que vem." Por causa das restrições orçamentárias dos últimos anos, as federais já têm reduzido o ritmo das obras e cortado contratos de serviços.
Para ela, já existem mecanismos suficientes para analisar se as obras têm algum problema. "Nossos relatórios têm sido aprovados pela CGU e pelo TCU (Tribunal de Contas da União) ano a ano. Não existe essa má gestão. As novas obras são fundamentais para consolidarmos a expansão e não sabemos como será o ano que vem. Gostaríamos de ter mais clareza do que vai acontecer."
Autonomia
O modelo das universidades federais é menos autônomo do que o que acontece desde 1988, por exemplo, nas estaduais paulistas (USP, Unesp e Unicamp). As três podem gerir como quiserem todo a verba recebida pelo governo do Estado, sem delimitações do que é investimento e custeio, por exemplo. As três instituições recebem uma cota fixa de 9,57% da arrecadação estadual do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).
"O que me parece é que essa mudança tira a responsabilidade das universidades quando algo der errado", avalia o especialista em ensino superior da Unicamp Renato Pedrosa.
"Quando a coisa aperta, elas podem pedir uma complementação para o ministério. Isso não acontece em São Paulo, por exemplo. Nas universidades estaduais, não existe espaço para pedir complementação, mesmo nos salários", acrescenta.
Processo gradativo
Para o professor de Economia do Insper Sérgio Firpo, o ideal é que as universidades tivessem graus diferentes de autonomia, de acordo com o estágio em que se encontram. "Há universidades que, nos indicadores acadêmicos, não estão tão bem justamente porque não houve tempo de os investimentos maturarem e, portanto, precisam de mais investimentos. O ideal é conceder uma autonomia com responsabilização, com algum sistema de accountability (prestação de contas). Pode-se dar autonomias diferentes dependendo do estágio de desenvolvimento das universidades. Nas mais novas, um grau de intervenção maior, enquanto não se chegou ao estágio em que há, de fato, reconhecimento pelo mérito acadêmico e científico, por exemplo", diz o professor.
Por outro lado, diz Firpo, a centralização pode diminuir eventuais desigualdades que existam no País. "Pode ser louvável, desde que isso esteja associado ao mérito, ou seja, para as universidades que, em geral, estejam agregando a seus estudantes, atrelando o investimento a um conjunto de indicadores."
Mais eficiência
O Ministério da Educação (MEC) disse, em nota, que as universidades federais continuam com autonomia e o orçamento de investimento continuará sendo atribuído a elas. "A lei orçamentária é elaborada pelo Sistema Federal de Planejamento e Orçamento, que tem o MEC como órgão superior e as universidades como unidades orçamentárias descentralizadas. Essa sistemática está prevista na Constituição e demais leis e em nada afeta a autonomia orçamentária das universidades, que continuam com a autoridade de decidir a aplicação dos recursos que lhes são conferidos", afirmou, em nota.
A promessa é de mais eficiência no uso dos recursos, "uma vez que a liberação ocorrerá de acordo com os indicadores da matriz de riscos elaborada pelo ministério, que já vem sendo discutida com os reitores", informou a pasta. Haverá prioridade, por exemplo, a obras de salas de aula e laboratórios e serviços com melhores indicadores de desempenho físico e financeiro.
Diretor de desenvolvimento da rede de federais do MEC, Mauro Rabelo garantiu que não haverá prejuízo às instituições. "O ministério vai acolher as demandas das universidades no início do ano. A matriz foi discutida com a Andifes (associação que reúne os reitores) e os critérios também serão discutidos."
Segundo Rabelo, o uso da verba deste modo é mais racional, pois o MEC consegue acompanhar a situação das obras. Argumentou ainda que não faz sentido distribuir o mesmo recurso de investimento todos os anos da mesma forma. "Uma universidade que recebeu R$ 50 milhões em um ano não precisa necessariamente deste mesmo valor no ano seguinte, porque pode ter concluído as obras."
E reiterou não haver perda de autonomia. "Metade do recurso terá autonomia completa. A outra metade terá de passar pelo MEC e, então, vamos olhar a situação das 63 universidades, concorrendo entre si, para que o recurso seja alocado para cada uma delas segundo o estado em que se encontram." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Confira fotos da III Conferência Municipal de Educação de Iaçu

No dia 11 de dezembro, foi realizado no Clube Municipal de Iaçu a III Conferência Municipal de Educação, que teve como tema A Consolidação do SNE e o PNE: Monitoramento, avaliação e proposição de políticas para a garantia do direito à educação de qualidade social, pública gratuita e laica.

Estiveram presentes no eventos a Secretária de Educação Rita de Cassia Maia de Jesus e a palestrante e Diretora Regional do Núcleo Territorial de Educação - NTE14 Eliana Moraes, Marcos Reis, Kathia Flôr além dos Vereador Magno Flôr, o Vereador Periri, Neto da Cerâmica e demais autoridades.







Enem 2017: locais de prova da segunda aplicação são divulgados

Estudantes relatam que foram prejudicados por falta de energia em local de prova do Enem em Olinda (Foto: Reprodução/WhatsApp)
Os candidatos que farão a segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017, nos dias 12 e 13 de dezembro, já podem consultar o local de prova. A informação está disponível na página do participante. É necessário informar login e senha cadastradas no ato da inscrição.
Nessa data, poderão fazer o exame todos aqueles candidatos que tiveram problemas com fornecimento de luz, por exemplo - como os 3.574 participantes de nove locais em Olinda (PE), Teresina (PI) e Uruaçu(GO). Outros cinco casos são de atendimentos a demandas judiciais e 27 de deferimentos para atender quem teve algum outro tipo de problema na data original do Enem.

Em Teresina, prova foi cancelada em faculdade após falta de energia (Foto: Júnior Feitosa/G1)

Enem PPL

Também nos dias 12 e 13 de dezembro, ocorrerá a aplicação do Enem para Pessoas Privadas de Liberdade e Jovens sob Medida Socioeducativa (PPL). Em 2017, foram 31.765 inscrições nesta modalidade, em 577 municípios. O exame será aplicado em 1.078 unidades prisionais.
O grau de dificuldade, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), é o mesmo da primeira aplicação do Enem, nos dias 5 e 12 de novembro.
Fonte: G1/Bahia

Professores das universidades estaduais da Bahia vão paralisar atividades por 24h


Os professores da Uneb, Uesc e Uesb farão paralisação das atividades acadêmicas e administrativas por 24 horas a partir desta terça-feira (28). Segundo a Associação dos Docentes da Universidade do Estado da Bahia (Aduneb), o protesto dos docentes fechará os portões das universidades e foi aprovado nas assembleias da categoria. Na Uneb a atividade aconteceu em 09 de outubro. 

De acordo com o coordenador geral da Associação dos Docentes da Uneb (Aduneb), Milton Pinheiro, a paralisação das Universidades Estaduais Baianas (Ueba) será para reforçar a denúncia de desrespeito do governo estadual com os direitos trabalhistas dos docentes. Além disso, também reivindicará maior orçamento às universidades. O protesto também será contra o projeto de Reforma da Previdência Social.

No Campus I da Uneb, no bairro Cabula, em Salvador, a partir das 7h, acompanhados de carro de som, os professores farão panfletagem, irão dialogar com a comunidade ao redor da universidade e oferecerão um café da manhã aos presentes no protesto. Atividades também acontecerão nos campi do interior.

Segundo o Fórum das ADs, espaço que reúne representações das associações docentes das Ueba, no período de 2013 a 2016, as estaduais baianas acumularam redução de R$ 213 milhões no orçamento de manutenção, investimento e custeio. O cálculo é uma projeção que leva em consideração os cortes orçamentários e os reajustes das inflações acumuladas nos períodos. Apenas na Uneb, a Secretaria de Administração Estadual (Saeb) nega promoções e alterações de regime de trabalho, que são direitos trabalhistas, a 279 professores. O corte do reajuste linear, ocorrido nos últimos dois anos, já corroeu quase 20% dos salários de docentes e técnicos.

A pauta de reivindicações do Fórum das ADs foi protocolada junto ao governo em 19 de dezembro do ano passado. Quase um ano depois, apesar dos professores tentarem de várias maneiras o diálogo com o governo, os representantes de Rui Costa continuam irredutíveis. Para a diretoria da Aduneb, a insatisfação da categoria com o desmonte da educação pública superior poderá levar as Ueba à greve. 

Reivindicações 2017

1.Destinação de, no mínimo, 7% da Receita Líquida de Impostos (R.L.I.) do estado da Bahia ao orçamento anual das universidades estaduais;

2.Recomposição salarial de 30,5%. O cálculo é o resultado da soma das perdas ocasionadas pela inflação de 2015 e 2016, acrescido de uma política de recomposição salarial;

3.Cumprimento dos direitos trabalhistas dos docentes, a exemplo das promoções na carreira, adicional de insalubridade, mudança de regime de trabalho, reimplantação da licença sabática, conforme o estabelecido no Estatuto do Magistério Superior Público das Universidades do Estado da Bahia – Lei 8.352/2002;

4.Ampliação e desvinculação do quadro de vagas às classe nas Ueba. 

Com informações do BNews.

Prazo para renovação de contratos do Fies termina nesta segunda-feira (20)


Os estudantes que ainda não concluíram a renovação do contrato do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) devem ficar atentos porque o prazo final termina nesta segunda-feira (20). 

“O primeiro prazo era até 31 de outubro e nós prorrogamos para garantir que todos os estudantes tivessem tempo suficiente para realizar o procedimento e garantir a continuidade do seu financiamento”, explicou o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Silvio Pinheiro, alertando aos estudantes que se apressem para não perder o prazo que termina segunda-feira (20).

Os contratos do Fies devem ser renovados a cada semestre e o pedido de aditamento é feito inicialmente pelas faculdades e, em seguida, os estudantes devem validar as informações inseridas pelas instituições no Sistema Informatizado do Fies (SisFies).

No caso de aditamento não simplificado, quando há alteração nas cláusulas do contrato, como mudança de fiador, por exemplo, o estudante precisa levar a documentação comprobatória ao agente financeiro para finalizar a renovação. Já nos aditamentos simplificados, a renovação é formalizada a partir da validação do estudante no sistema.

Além de renovar os contratos vigentes, também será possível até essa data, fazer a transferência integral de curso ou de instituição de ensino, bem como solicitar a dilatação do prazo de utilização do financiamento.

Gabarito do Enem 2017 é divulgado


O gabarito oficial do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi divulgado nesta terça-feira (14) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do Ministério da Educação responsável pela aplicação das provas. (G1).



BAIXE O PDF COM OS GABARITOS




1º dia - Gabarito - Caderno 1 - Azul


1º dia - Gabarito - Caderno 2 - Amarelo


1º dia - Gabarito - Caderno 3 - Branco


1º dia - Gabarito - Caderno 4 - Rosa


1º dia - Gabarito - Caderno 9 - Laranja (Braile e ledor)


1º dia - Gabarito - Caderno 10 - Verde (Libras)


2º dia - Gabarito - Caderno 5 - Amarelo


2º dia - Gabarito - Caderno 6 - Cinza


2º dia - Gabarito - Caderno 7 - Azul


2º dia - Gabarito - Caderno 8 - Rosa


2º dia - Gabarito - Caderno 11 - Laranja (Braile e ledor)


2º dia - Gabarito - Caderno 12 - Verde (Libras)

Ensino Médio: Sesi abre processo seletivo para bolsas de estudos em diversas cidades da Bahia


O Serviço Social da Indústria (Sesi) na Bahia abriu vagas para 410 bolsas de estudos gratuitas para o 1º ano do Ensino Médio, em 2018. Para Feira de Santana o Sesi oferece 80 vagas e para Salvador, 240. Também há vagas para as cidades de Luís Eduardo Magalhães (20 vagas), Vitória da Conquista (20), Barreiras (20) e Ilhéus (30). 

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pela internet no site do Sesi até o próximo domingo (19). O candidato precisa ser concluinte do 9º ano do ensino fundamental, ter 16 anos completos até 31 de março de 2018 e renda familiar de até dois salários mínimos.
Os candidatos terão que passar por processo seletivo, no qual serão submetidos a uma prova escrita, composta de 45 questões objetivas e redação, de caráter eliminatório e classificatório. A avaliação será realizada no dia 3 de dezembro. 

A matrícula dos aprovados começa a partir do dia 13 de dezembro, quando deve ser publicado o resultado final da seleção. Para quem não tem perfil socioeconômico para concorrer a uma bolsa de estudos, a matrícula pode ser feita diretamente nas escolas da Rede Sesi. 

Fonte: Com informações do site Acorda Cidade.

Secretaria da Educação abre inscrições para concurso com 110 vagas para Itaberaba


O edital do concurso público para professor e coordenador pedagógico da rede estadual de ensino foi publicado na edição do Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (10). São 3.096 vagas para professor e 644 para coordenador pedagógico.
Os professores podem optar pelas disciplinas de Arte (96), Biologia (345), Educação Física (122), Filosofia (144), Física (381), Geografia (219), História (207), Língua Inglesa (285), Língua Portuguesa (209), Matemática (618), Química (336), e Sociologia (134).
Em ambos os casos as oportunidades estão distribuídas nas cidades de Irecê, Bom Jesus da Lapa, Seabra, Serrinha, Itabuna, Valença, Teixeira de Freitas, Itapetingaa, Amargosa, Juazeiro, Barreiras, Macaúbas, Caetité, Itaberaba, Ipirá, Jacobina, Ribeira do Pombal, Algoinhas , Feira de Santana, Vitória da Conquista, Santo Antônio de Jesus, Jequié, Santa Maria da Vitória, Paulo Afonso, Senhor do Bonfim, Salvador, e Eunápolis.
A atuação dos novos servidores deve ocorrer em jornada de 40h semanais, com remuneração variável de R$ 2.814,28 a R$ 2.890,87.
As inscrições começam no dia a 14 de novembro através do site da empresa que vai realizar o concurso e podem ser feitas até o dia 12 de dezembro. A taxa de inscrição é de R$ 100,00.
O concurso terá provas objetivas, discursiva e detítulos. Sendo que a primeira etapa aborda temas como: Conhecimentos Gerais, Conhecimentos Interdisciplinares, e Conhecimentos Específicos. A previsão é que seja aplicada no dia 25 de fevereiro de 2018.
Veja a quantidade de vagas para professor por cidade
Irecê – 178 vagas
Bom Jesus da Lapa – 136 vagas
Seabra – 197 vagas
Serrinha – 176 vagas
Itabuna – 116 vagas
Vitória da Conquista – 113 vagas
Feira de Santana – 121 vagas
Alagoinhas – 121 vagas
Ribeira do Pombal – 138 vagas
Jacobina – 29 vagas
Ipirá – 77 vagas
Itaberaba – 110 vagas
Caetité – 79 vagas
Macaúbas – 30 vagas
Barreiras – 152 vagas
Juazeiro – 146 vagas
Amargosa – 135 vagas
Itapetinga – 35 vagas
Teixeira de Freitas – 133 vagas
Valença – 142 vagas
Senhor do Bonfim – 51 vagas
Santo Antônio de Jesus – 64 vagas
Paulo Afonso – 24 vagas
Santa Maria da Vitória – 94 vagas
Jequié – 67 vagas
Salvador – 334 vagas
Veja a quantidade de vagas por cidade* para coordenadores pedagógicos
Irecê – 19 vagas
Bom Jesus da Lapa – 17 vagas
Seabra – 26 vagas
Serrinha – 34 vagas
Itabuna – 25 vagas
Valença – 20 vagas
Teixeira de Freitas – 19 vagas
Itapetinga – 11 vagas
Amargosa – 23 vagas
Juazeiro – 25 vagas
Barreiras – 25 vagas
Macaúbas – 7 vagas
Caetité – 14 vagas
Itaberaba – 13 vagas
Ipirá – 18 vagas
Jacobina – 12 vagas
Ribeira do Pombal – 22 vagas
Alagoinhas – 33 vagas
Feira de Santana – 54 vagas
Vitória da Conquista – 47 vagas
Santo Antônio de Jesus – 31 vagas
Jequié – 27 vagas
Santa Maria da Vitória – 14 vagas
Paulo Afonso – 7 vagas
Senhor do Bonfim – 13 vagas
Salvador – 94 vagas
Eunápolis – 14 vagas
*Essas cidades são base do chamados núcleos territoriais

Concurso Professor Bahia (SEE BA): Saiu o edital para 3.760 vagas!


Estão abertas as inscrições do Concurso Público para professor e coordenador pedagógico da rede estadual de ensino. Serão disponibilizadas 3.096 vagas para o cargo de professor e 664 vagas para o cargo de coordenador pedagógico. O edital foi publicado na edição do Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (10).

A seleção para os cargos de professor e coordenador pedagógico será composta por três etapas: provas objetivas (etapa habilitatória e classificatória), prova discursiva (etapa habilitatória e classificatória realizada juntamente com as Provas Objetivas) e prova de títulos para os candidatos habilitados na prova discursiva.

Tema da redação do Enem 2017 fala sobre a educação de surdos no Brasil


O tema da Redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 é “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”. A informação foi divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame, logo após o fechamento dos portões.
Mais de seis milhões de inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) testam seus conhecimentos neste domingo (5/11). Em algumas regiões do Distrito Federal, os candidatos enfrentaram chuva forte. Às 13h em ponto, os portões foram fechados. ]
Na data de hoje serão aplicadas provas de linguagens, ciências humanas e redação, com tempo de duração de 5 horas e 30 minutos. Os portões abriram às 12h. As provas tiveram início às 13h30. No próximo domingo, dia 12, os aspirantes a vagas em universidades testarão seus conhecimentos em matemática e ciências da natureza.

800 MIL VAGAS: Pronatec recebe inscrições até este domingo (22)


As inscrições para o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) vão até o próximo domingo (22). Ao todo, são 800 mil oportunidades em cursos gratuitos de formação inicial e continuada. O início das aulas está marcado para o dia 30 de outubro. A data vale tanto para os cursos presenciais quanto para os cursos a distância. As inscrições devem ser feitas pela internet, pelo site do Pronatec (CLIQUE AQUI).

A proposta do programa é ampliar o acesso à educação profissional e capacitar os inscritos para ingressar no mercado de trabalho, de modo a melhorar as condições de vida da população de baixa renda. Para participar, é preciso ter mais de 15 anos e ensino fundamental incompleto. Além disso, para viabilizar para aqueles que não têm acesso à internet fazerem os cursos a distância, computadores serão oferecidos em Centros Vocacionais Tecnológicos (CVT).

Seminário Interdisciplinar “Infinito Particular¹” acontece no dia 05 de julho no auditório da UNEB, em Itaberaba


Convidamos a comunidade Itaberabense para o Seminário Interdisciplinar “Infinito Particular1 Visões e versões dos dados em pesquisas qualitativas - a análise" que ocorrerá no dia 05 de julho de 2017. As atividades do seminário acontecerão das 14:30h às 22:30h, no auditório da Universidade do Estado da Bahia – UNEB/Campus XIII.

 O Seminário é parte integrante do componente curricular Pesquisa e Pratica Pedagógica (PPP) da licenciatura em Pedagogia e, neste semestre, se propõe a reverenciar as possibilidades da análise de dados em fazer-se ponte para a construção de conhecimentos na educação.

O seminário compõe-se de 01 conferência e 02 mesas redondas nas quais professores-pesquisadores abordarão distintas e divergentes formas de analisar dados em pesquisa qualitativas tomando como exemplo suas próprias investigações
.
 O infinito Particular, assim, promove um panorama das pesquisas no DEDC XIII. Por meio do Seminário Infinito Particular, os docentes e graduandos em pedagogia do DEDC XIII reiteram a compreensão de que analisar dados implica em construir visões e versões das paisagens sociais nas quais estamos imersos.

Local: Auditório da Uneb
Data: 05 de Julho de 2017
Organização: Discentes do 4º semestre de Pedagogia Coordenação: Prof.ª Me.ª Dina Maria Rosario

https://www.facebook.com/infinitoparticular4/

Fonte: Ruy Barbosa Noticias

Lista de estudantes contemplados para cursinho Universidade para Todos é divulgada


A Secretaria da Educação do Estado divulgou nesta quarta-feira (14), a lista dos estudantes contemplados para o curso Universidade Para Todos (UPT), que é preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

São ofertadas 16.400 vagas para Salvador e mais 228 localidades da Bahia, nos 27 Territórios de Identidade. A ação é uma parceria com as universidades estaduais UNEB, UEFS, UESB e UESC. 

Os estudantes foram selecionados por meio das médias de Português e de Matemática que foram informadas pelos candidatos na inscrição. A matrícula será realizada entre os dias 3 a 7 de julho e as aulas iniciam no dia 3 de julho e vão até dezembro de 2017. A lista está disponível no Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br).


Fonte: (Metro1)

Secretaria abre 16.400 vagas para o curso Universidade para Todos


A Secretaria da Educação do Estado da Bahia divulgou, neste sábado (27), o edital para o curso Universidade Para Todos (UPT). Estão sendo ofertas 16.400 vagas. As aulas, preparatórias para o vestibular e para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), são realizadas em Salvador e mais 228 localidades do Estado da Bahia, em 27 Territórios de Identidade.

A ação é desenvolvida em parceria com as universidades estaduais UNEB, UEFS, UESB e UESC. As inscrições serão realizadas no período de 1º a 8 de junho, exclusivamente, no Portal da Educação. “Esta é mais uma iniciativa adotada pela Secretaria que oportuniza aos estudantes a preparação para o ingresso no Ensino Superior. Tanto que podem participar, os egressos das redes públicas estadual e municipal e, também, os estudantes do 3º ano do Ensino Médio ou do 4º ano da Educação Profissional. Além disso, vale destacar a parceria com as nossas universidades estaduais”, afirma o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.

Poderá concorrer a uma vaga o candidato que for egresso do Ensino Médio das redes estadual ou municipal do Estado da Bahia. Também podem concorrer estudantes das redes públicas estadual ou municipal matriculados, em 2017, nas seguintes situações: 3º ano do Ensino Médio Regular ou suas modalidades correspondes, do 4º ano da Educação Profissional Integrada ao Ensino Médio ou suas modalidades correspondentes. Todos estes estudantes precisam ter concluído o Ensino Fundamental II (5ª à 8ª séries, atual 6º ao 9º ano ou modalidades correspondentes), e a 1ª e 2ª séries do Ensino Médio Regular ou modalidades correspondentes nas redes estadual ou municipal no Estado da Bahia.
Matrícula

A seleção é feita através das médias de Português e de Matemática que são lançadas pelo candidato no ato da inscrição e conferidas no ato da matrícula. A matrícula será realizada entre os dias 3 a 7 de julho, no local e turno que o aluno optou para estudar. Para se matricular, é preciso apresentar cópia e original do CPF, RG, comprovante de residência, além do Histórico Escolar do Ensino Médio e do Ensino Fundamental II. As aulas começam no dia 3 de julho e vão até dezembro de 2017.
Mais sobre o Programa

O UPT oferece aulas regulares, de segunda a sexta-feira, de Português, Redação, Matemática, Física, Química, Biologia, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), História e Geografia, além de atividades complementares como seminários, oficinas, revisão para o ENEM, aulões, simulados e orientação vocacional. O curso oferece, ainda, material didático, fardamento e isenção da taxa de inscrição em processo seletivo das universidades estaduais aos alunos que apresentarem frequência igual ou superior a 75% das aulas ministradas.


Fonte: Amargosa News

Publicidade

test banner